Dá para envelhecer com beleza? Divulgação - publicada em 10. 3. 2017 - atualizada 11h18 Técnica e tecnologia permitem que pacientes envelheçam sem perder a beleza
Opções
a- / 
a+
Comentar

Indicar

Imprimir

Achei um erro

Combater os sinais do tempo na pele é uma das principais razões que levam pacientes ao consultório do dermatologista. Felizmente, a tecnologia é uma aliada e grandes avanços vêm sendo feitos para combater o envelhecimento e com resultados mais naturais.  “Atualmente, profissionais que estão sempre em atualização já compreendem que o foco dos tratamentos de rejuvenescimento não é e nem deve ser apenas as rugas”, explica a dermatologista Annia Cordeiro, diretora de um centro de dermatologia em Curitiba.

Segundo a especialista, quando a atenção fica apenas em diminuir as rugas e linhas de expressão, o resultado fica artificial. “Isso porque o tratamento inadequado acaba alterando a fisionomia do paciente. É fundamental que a avaliação seja feita de maneira global, buscando resgatar e manter a estrutura, arquitetura e o desenho do rosto. O objetivo é buscar a aparência mais jovem sem alterar o formato da face.”

Um exemplo desse novo conceito dos tratamentos dermatológicos é a técnica de sustentação facial, que dá um novo sentido ao uso de preenchedores e volumizadores. Eles já vêm sendo usados para tratar rugas há algum tempo.  A ideia é, literalmente, encher as áreas “afundadas” e, assim, eliminar os sinais da pele. Porém, atualmente são armas que ajudam a tratar as causas do envelhecimento, e não apenas os sintomas.

Com as perdas óssea, de gordura e das camadas da pele, os sinais da flacidez e rugas aparecem e a estrutura da face é comprometida, levando à perda dos contornos na mandíbula. O rosto e o pescoço perdem a linha de delimitação, as bochechas descem e surgem áreas “vazias” e escuras debaixo dos olhos – parecendo olheiras. “Atualmente, aplicamos o ácido hialurônico nos chamados ‘MD Codes’ (pontos específicos). Além disso, estimulamos a musculatura facial com o ultrassom microfocado. Isso resulta na sustentação da face e, assim, é possível devolver ao paciente, parcial ou totalmente, o posicionamento das estruturas faciais”, afirma a especialista.

Outro tratamento que ganhou nova função no combate ao envelhecimento é a toxina botulínica. Antes usada para eliminar sinais e rugas, ela tem a função de relaxar músculos. Hoje é complemento de um tratamento mais completo. “Dentro do conceito global na avaliação da face, usamos a toxina botulínica para diminuir a contração dos músculos depressores, ou seja, os que ‘puxam para baixo’ as sobrancelhas, cantos da boca e bochechas, contribuindo para a manutenção dos contornos faciais”, afirma a dermatologista.

Toque final

Esse novo conceito de tratamento contra o envelhecimento busca fazer a avaliação de contorno, volumes, áreas que precisam ser sustentadas e músculos que devem ser relaxados para a manutenção da arquitetura e estrutura facial. Porém, também há cuidados externos que melhoram o aspecto da pele.

Para esse “acabamento”, tratamentos como o skin booster, laser fracionado, radiofrequência, laser não ablativo e peelings contribuem para alcançar uma cor homogênea, uma textura lisa e macia, sem poros dilatados e sem o aspecto amassado da pele – as rugas finas.

“É importante que o paciente lembre que ter o rosto sem nenhuma ruga não é sinal de beleza e não é o que vai deixar aparência mais jovem. É importante observar contornos, volumes e proporções faciais para garantir o rejuvenescimento com aspecto natural.”

Tem mais informações sobre esta asunto? Partilhe sua experiência. Seja um Repórter!
Comentar
Indicar
Imprimir
Achei um erro
Indicar


Comentar no Guia
Para comentar essa matéria é preciso ser um leitor cadastrado.
PUBLICIDADE - Anuncie aqui.