Ceia de Natal será mais magra Divulgação - publicada em 15. 12. 2016 - atualizada 13h2 Pesquisa da Boa Vista SCPC revela que para 47% dos consumidores a ceia de Natal será mais magra e mostra também que apenas 11% acreditam que a ceia será mais farta este ano, percentual inferior aos 14% do ano passado
Opções
a- / 
a+
Comentar

Indicar

Imprimir

Achei um erro

47% dos consumidores preveem que a Ceia de Natal deste ano será menos farta que a do ano anterior. O dado é da pesquisa nacional Hábitos de Consumo, da Boa Vista SCPC, que mostrou também que esse percentual é ainda maior nas classes D/E (55%), assim como na região Norte (55%). Outros 42% dos consumidores declaram que a Ceia de Natal deste ano terá a mesma fartura em comparação a última ceia. Para 11% a Ceia de Natal deste ano será mais farta, contra 14% registrados no ano passado.

O levantamento revelou também que o valor médio total pretendido com todas as despesas no Natal e Fim de Ano não deve ultrapassar R$ 449,84, gasto 25% inferior à renda familiar de 56% dos respondentes. Fazem parte das despesas, compras de alimentos, presentes, viagens e itens de outras necessidades. Outros 37% dos respondentes afirmam que o comprometimento com a renda neste período do ano ficará entre 25% a 50% e os outros 7% superior a 50% da renda.

De 2015 para 2016, aumentou em 6 p.p. (48% para 56%) o número de consumidores que pretendem comprometer menos de 25% da renda familiar. Já entre os que pretendem comprometer de 25% a 50%, houve uma queda de 7 p.p., em comparação a 2015 (44% para 37%).

Na divisão por classe social, 78% dos consumidores das classes D/E pretendem gastar até R$ 500. O ticket médio dos que pretendem gastar menos será de até R$ 409,75, contra R$ 608,29 entre os que gastarão mais que o ano anterior. Quanto menor o valor declarado a ser gasto, com as compras de Natal e Fim de Ano, maior é o percentual de consumidores que informam que este valor comprometerá menos de 25% da renda familiar mensal.

Já na divisão por regiões do país, 54% dos consumidores na região Sudeste pretendem comprometer menos de 25% da renda familiar com os gastos de Natal e Final de Ano. Por outro lado, estes gastos de Final de Ano representarão mais de 25% da renda familiar mensal, para 58% dos consumidores das classes DE, passando para 29% na classe C e apenas 16% nas classes AB.

Sobre a pesquisa

A pesquisa Hábitos de Consumo para o Natal e Final de Ano, da Boa Vista SCPC, teve por objetivo identificar a pretensão de compra do consumidor para o Natal de 2016 e Final de Ano, o valor pretendido para as compras dos presentes, a forma como o consumidor pretende utilizar o 13º salário, e as expectativas para 2017 quanto à economia brasileira e a situação financeira pessoal.

Tem mais informações sobre esta asunto? Partilhe sua experiência. Seja um Repórter!
Comentar
Indicar
Imprimir
Achei um erro
Indicar


Comentar no Guia
Para comentar essa matéria é preciso ser um leitor cadastrado.
PUBLICIDADE - Anuncie aqui.